Modalidades

No Brasil o Escotismo é praticado em três modalidades diferentes (Básica, do Ar e do Mar), de acordo com o interesse dos jovens e dos voluntários atuantes nas Unidades Escoteiras Locais. A mais conhecida é a Modalidade Básica que oferece a prática habitual e mais conhecida do Escotismo, enfatizando e desenvolvendo nos jovens o gosto pelo excursionismo, artes mateiras, campismo e montanhismo, viagens, expedições e explorações de regiões desconhecidas, pelo estudo da fauna, da flora, entre outros.

MODALIDADE DO MAR

Baden-Powell costumava a sair para aventuras marítimas com seus irmãos, suas férias de nosso eram repletas de descobertas à bordo de embarcações. Por conta da paixão e envolvimento de B.P. com as atividades em alto mar, um acampamento, liderado pelo Fundador em agosto de 1909, reuniu jovens às margens do Rio Beaulieu, para o primeiro Acampamento de Escoteiros do Mar. Enquanto parte do grupo estava embarcada em um navio cedido à Tropa Mercúrio, a outra metade ficou em terra, invertendo os grupos no andamento da atividade. Em 1910, foi publicado por B-P o livro “Escotismo do Mar para Rapazes”, introduzindo as temáticas e a especialização, enquanto aguardavam um manual produzido por Warington – publicado em 1912.

Com o a inexperiência na área dos chefes da modalidade básica, surgiram novos chefes provindos da Guarda Costeira da Inglaterra, os quais tinham conhecimento sobre as artes da marinharia. As primeiras uniões de Escoteiros do Mar na Inglaterra e no exterior foram: Mercúrio, “British Boys”, Petersham and Ham, Barry, Cleethorpes, Ratcliffe, Skegness, e Gibraltar.

No Brasil, a modalidade foi introduzida após uma visita proposta pelo Velho Lobo, Tenente Benjamin Sodré, à cerimônia de Promessa dos primeiros Escoteiros do Pará. Os oficiais da missão José Bonifácio acabaram convidando os novos Escoteiros para visitar o cruzador, e Benjamin Sodré, juntamente com Frederico Villar e Gumercindo Loretti desenvolveram a ideia de criar o Escotismo do Mar em terras brasileiras. A partir de 1921, quando o primeiro grupo do Mar surgiu – (G.E. do Mar Decimo (10°/RJ), outros grupos foram surgindo, fortalecendo o interesse e importância da modalidade.

MODALIDADE DO AR

A Modalidade do Ar realiza atividades com temas voltados para a aviação, procurando desenvolver nos jovens o gosto pelo aeromodelismo, planadores, helicópteros e aviões, aeroportos, aeronavegação, aero propulsão, foguetes espaciais, satélites artificiais, esportes aéreos, estudo da meteorologia, astronomia, engenharia aeronáutica, entre outros. Os Escoteiros do Ar têm a oportunidade de explorar este universo. Encantador, técnico e poético, inspirador e moderno. Visitar aeroportos e bases aéreas, conversar com pilotos e mecânicos, entrar em aeronaves esportivas, civis e militares. Montar e lançar aeromodelos, plastimodelos e papelmodelos, simuladores de voo. Entender o funcionamento e a operação destas máquinas.

Através de jogos, aventuras e desafios em companhia de seus melhores amigos, o jovem escoteiro do ar vai desvendando passo a passo o incrível domínio dos ares. E os acampamentos, a vida ao ar livre, como todo escoteiro, a vivência sob o domínio da natureza, com suas belezas, encantos, surpresas e dificuldades, e a consciência de que somos apenas uma parte da natureza, que nos cabe preservar.

Organizada no Brasil em 1938 com a fundação do 1º Grupo de Escoteiros do Ar Ricardo Kirk, através do Tenente Coronel Aviador Vasco Alves Secco, do Major Aviador Godofredo Vidal e do Primeiro Sargento Telegrafista Jayme Janeiro Rodrigues.

Reconhecendo a importância dos Escoteiros do Ar na formação dos jovens brasileiros, e a formação de vocações aeronáuticas, o em 1951 o então Ministro da Aeronáutica Brigadeiro Nero Moura – o heroico comandante do 1º Grupo de Aviação de Caça Senta a Púa – editou portaria determinando que todas as unidades da Aeronáutica do Brasil prestem apoio às Tropas de Escoteiros do Ar. Portaria ratificada em 1982 pelo então Ministro da Aeronáutica Délio Jardim de Matos.